domingo, 13 de maio de 2012

Seguindo adiante

O 'No Encalço Do Falcão Maltês' segue seu caminho no tumblr de agora em diante http://noencalco.tumblr.com/

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Os 11 melhores quadrinhos que eu li em 2011


Oyasumi Punpun



Understanding Comics



Powr Mastrs



Marvel Strange Tales 2



Keeping Two



Sixteen Miles To Merrick



Our Blood Stained Roof



Scott Pilgrim



Incognito



Valentina Au Debotte



Mesmo Delivery

Os 11 melhores jogos de 2011


Bastion



At A Distance



Glissaria



Viriax



Trauma



Hide



The Stanley Parable



Sword & Sworcery EP



Super Crate Box



Orcs Must Die



Shoot First

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Os 11 melhores álbums de 2011


Kanye West & Jay-z - Watch the Throne



The Drums - Portamento



Gotye - Making Mirrors



Kimbra - Vows


Bruce Peninsula - Open Flames



Modeselektor - Monkey Town



Wugazi - 13 Chambers


http://miojoindie.files.wordpress.com/2011/03/metronomy_the_english_riviera_cover_120mmsquare.jpg?w=490&h=490
Metronomy - The English Riviera



Tyler, The Creator - Goblin



Danger Beach - Milky Way



Lykke Li - Wounded Rhymes



Jim Guthrie - The Ballad Of Space Babies

domingo, 5 de junho de 2011

Mediocridade is killing me

Dá play e vai lendo o texto junto com a música



Tem algo que desde sempre me emputeceu: a mediocridade. Vez ou outra comento ela, nunca demoradamente. Mas a ocasião agora é outra, morreu Gil Scott-Heron e o tema veio à tona.

No dia 27 de Maio, Scott-Heron morreu por razões ainda desconhecidas. Um músico, poeta, e pensador negro que conseguiu a rara proeza de manter o altíssimo nível musical durante 40 anos de carreira. Um dos precursores do rap junto com o grupo The Last Poets. Seu poema/música "The Revolution Will Not Be Televised" tem influência até hoje. E dentre várias outras proezas que não cabe a mim demorar (depende de você pesquisar).

Como já era de se esperar, ele estava certo, a revolução não será televisionada, ela ocorrerá na internet pra quem se esforçar pra descobrir. Porque, assim como o verdadeiro rap (aquele que realmente é rhytm and poetry) anda apagado por milhares de bling-bling e incompetência musical, a internet está cheia de mediocridade. Assange, códigos abertos, kickstarter e afins são sobrepostos por "famílias de bandas", babaquice de "comediantes", ecletismos, gente ensandecida sem razão. A situação é tétrica, horrenda, calamitosa. Um típico usuário passa de duas a quatro horas na rede, e é incapaz de estabelecer o mínimo de critério ou aprender algo novo, como pode um absurdo desses? Só no mês passado eu já ouvi, li e assisti muito mais que muito classe média por aí. Como pode sabe lá quantos adolescentes gastarem horas, semanas, meses, anos numa banda de um CD só? CD esse que é medíocre, diga-se de passagem. Como um cara que faz piada com estupro é o mais influente do twitter? Como pode alguém achar que a Wikipedia só tem artigos furados? Como pode alguém fazer todos os trabalhos com ajuda do Yahoo!Respostas ? Sério, é absurdo o quanto as pessoas se contentam sem o mínimo de discernimento. Como elas conseguem se fechar em suas garrafinhas de mediocridade e achar que não é um crime contra sua própria humanidade viver assim.
Tomara que no futuro isso melhore, porque assim não dá.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Encrenca em dobro

Seguem abaixo as narrativas de dois ocorridos no CEUB. Sendo o primeiro de cunho completamente vergonha alheia e o segundo, além da vergonha alheia, tem um pouco de Metal Gear Solid no meio.
*
Me foi passado um trabalho cujo tema era o Tumblr. "Pffff, vai ser tranquilo já que eu tenho um Tumblr há quase um ano. Vou destruir e tirar aquele SS." pensei com os meus botões. Mas, obviamente, não foi bem assim. A princípio tudo correu muito bem, todos mandaram suas partes, o powerpoint ficou bom, conseguimos uma sala com internet. Até que começamos a apresentar o trabalho, e apartir daí foi ladeira abaixo para a decadência. Explico, abri o Tumblr que tinha feito pro trabalho(que não deveria estar seguindo ninguém, mas eu devo ter seguido sem querer achando que estava na minha outra conta) e lá estavam as atualizações de outros tumblrs na minha dashboard, sendo a primeira uma imagem turva com a frase "E O MARIDAO VENDO" logo abaixo dela. Como era o tumblr do @sosjorginho eu esperava que fosse uma zoeira de boa. Só que não era. Era o sexo entre dois homo sapiens de sexos opostos, meus caros. Só que como a imagem tava turva e o telão do meu ângulo tava meio de lado, não consegui discernir o que era, então cliquei inocentemente pra mostrar as várias funções do Tumblr. Desnecessário dizer que quem conseguiu ver a imagem riu alto e o professor fez aquela cara de negação. Resultado, o constrangimento era tanto que apresentamos o trabalho bem mais rápido e pulamos várias partes. Triste, triste.
*
Eu me perco em devaneios o tempo todo, não consigo evitar. Fico surdo e desatento no processo, e demoro pra me tocar que cai numa cilada. Teve esse dia durante a aula de Mídias Sociais que me deu aquela vontade de ir no banheiro dar uma aliviada nos rins (aka mijar). Então beleza, sai da sala e avistei ao longe o banheiro com o símbolo de masculino. Mirei nele e segui devaneando (acho que nesse dia estava pensando em novas abordagens pro Zelda, mas pode ser ter sido qualquer coisa). Cheguei lá, entrei na cabine, fechei a porta e comecei o processo de aliviação. Mas eis que ouço passos... de sapatilhas! Reparem na sagacidade da conclusão que tive logo em seguida: "Peraí, homens não usam sapatilhas". Exatamente, Sherlock, Homens não usam sapatilhas. Aí eu me lembrei que ao entrar no banheiro não vi nenhum miquitório. Caso resolvido: era incontestavelmente um banheiro feminino. Começou o Metal Gear (aperta o play ali em baixo e deixa tocando enquanto lê).

O frio me percorria a espinha enquanto ouvia ela, seja lá quem fosse ela, lavando as mãos. Por sorte eu estava no meio do processo, então tinha que ir até o final. Foi o tempo dela fechar a torneira e o som de passos desaparecer na distância. Ela saiu, era agora. Terminei de mijar, fechei o zíper, abri a cabine lentamente pra confirmar que não tinha ninguém. Barra limpa. Sai da cabine, lavei a mão, e fui em direção a porta. Olhei pela entrada e vi um grupo virado pro outro lado e entretido nas suas piadas de Direito. Respirei fundo, e sai. E foi um alívio duplo, por ter saido despercebido e por ter dado aquela mijada massa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O que me leva a comprar um livro?

Quem dera fosse só uma razão que me levasse a comprar livros, assim daria para impedi-la de fazer um rombo no meu salário. Mas é sempre mais de uma, e misturadas homogeneamente. As vezes me atrai primeiro pela capa, aí eu dou uma lida na sinopse, vou me interessando pouco a pouco até ceder e comprar. Ou simplesmente me vêm um súbito amor pela Rússia, e como eu tenho uma flutuante e disforme lista mental de clássicos mundiais (que não sei ao certo quando foi que entrou no meu cérebro), decido que é a hora de se ler um Tchekov ou Tolstói. E como eu não tenho tanto dinheiro assim (graças aos deuses) não posso me dar ao luxo de comprar livros pelo simples ato de comprar. Então sempre termino meus livros, Alessandro.